Região Oeste

Portugal

São Martinho do Porto

Último vestígio de um antigo Golfo, a Baía de S. Martinho do Porto estendia-se até Alfeizerão que foi porto de mar até ao século XVI.

O progressivo assoreamento da lagoa e o desaparecimento do Porto de Paredes e da Lagoa da Pederneira tornou S. Martinho do Porto o único porto natural desta zona.

A pesca do robalo na baía ou a apanha de algas vermelhas são actividades que artesanalmente continuam a ser desenvolvidas nesta antiga povoação de pescadores.

A praia, baía em forma de concha de águas azuis, garante toda a segurança para banhos e actividades náuticas. As águas tranquilas, protegidas do vento pelos morros que circundam a baía são ideais para a prática de vela, windsurf, canoagem e remo durante todo o ano, permitindo a iniciação dos mais jovens nestas actividades.

S. Martinho do Porto, antiga povoação de pescadores, lugar por descobrir, sentir os contrastes do mar, ver as ilhas no horizonte a partir da linha de moinhos que desenha a costa. O olhar perde-se nos Miradouros do Facho e do Cruzeiro, na capela de Santo António.
Passeios pedestres, de bicicleta ou a cavalo numa zona de contrastes, recheada de vestígios históricos e pormenores da natureza por descobrir.

Ruas com esplanadas, bares, lojas e restaurantes onde se disfrutam os sabores do mar: Linguado grelhado, robalo, lagosta, santola recheado, entre muitos outros.

Praia da Gralha

A partir do parque de Campismo poderá ter acesso pedonal à praia da Gralha.

Uma costa escarpada revela uma praia de paisagem única com extenso areal, uma proximidade com a força do oceano que compensam a impossibilidade de nadar.

Nazaré

Esta vila de pescadores fascina pela forma de receber, pelas tradições preservadas e pela paisagem marítima inigualável. A Nazaré mantém-se como um dos destinos turísticos preferidos de portugueses e estrangeiros.
No topo da Vila situa-se o Sítio, onde se encontram os melhores miradouros e por onde chega por estrada ou pelo centenário ascensor. Este é um local muito visitado por peregrinos, pelo Santuário Mariano de N. S. Nazaré, mas também pela Praia do Norte, famosa pelas suas ondas grandes, e onde se localiza o Forte de S. Miguel Arcanjo, do século XVII, onde está instalado o farol.
No extremo oposto da praia, a Pederneira, antiga sede de concelho, onde existiu um dos estaleiros mais ativos do reino de Portugal nos séculos XII e XIV.

Alcobaça

Alcobaça está situada nos vales dos rios Alcoa e Baça, que segundo alguns escritores lhe deram o nome.
Alcobaça deve a sua fama e desenvolvimento ao Mosteiro ou Real Abadia de Santa Maria, fundado em 1153 pela Ordem de Cister.
O Mosteiro possuía um vasto domínio, que era também conhecido como “coutos” de Alcobaça, onde a Ordem de Cister sistematizou o povoamento, organizando vilas e quintas e dinamizou a agricultura, introduzindo novas técnicas e produtos agrícolas, características que perduraram no tempo sendo ainda hoje esta região uma das principais produtoras de fruta em Portugal.
A gastronomia e a doçaria foram muito influenciadas pelos Mosteiros e conventos da Ordem de Cister existentes na região, juntando-se ao de Alcobaça, o Mosteiro feminino de Cós e o Convento dos Capuchos em Évora de Alcobaça. O doce mais conhecido é o Pão de Ló que tomou o nome da localidade onde é confeccionado – Alfeizerão.
A vila celebrizou-se pela sua doçaria, perpetuada em inúmeras pastelarias locais.
A Maçã de Alcobaça, a Ginja, as cerâmicas e o cristal de excelente qualidade são produtos locais de destaque nacional e internacional.

Óbidos

A preservada vila medieval de Óbidos é sem dúvida um dos aglomerados murados mais interessantes de Portugal. Ao passear ao longo do labirinto de ruas estreitas e empedradas de Óbidos, a cada passo, encontram-se vestígios de diferentes civilizações.
Desde os cantos escondidos e os jardins de paredes altas da antiga área da medina, até as características gótica, renascentista e barroca, a Cidade é uma extensa obra de arte esculpida, destruída e reconstruída ao longo de muitos séculos.
Além de seu património arquitectónico, Óbidos está cheia de tradição histórica e é hoje uma das principais jóias do país, que se destaca também pelo riquíssimo calendário de eventos artísticos e culturais.

Batalha

A Batalha é completamente dominada pelo imponente Mosteiro de Santa Maria da Vitória, sendo este uma das maiores realizações da arquitectura manuelina em Portugal e um dos monumentos mais impressionantes de todo o país.

Ilhas das Berlengas

O arquipélago das Berlengas é um dos paraísos mais intocados e selvagens de Portugal, situado aproximadamente 6 milhas a oeste do Cabo Carvoeiro. É constituído por três pequenas ilhas, Berlenga Grande, Estelas e Farilhões.

Fátima

O Santuário de Fátima é, por excelência, um local de peregrinação e devoção, preservando a memória dos acontecimentos que levaram à sua fundação, as aparições de Nossa Senhora aos três pastorinhos em 1917. A sua magnitude e relevância do ponto de vista religioso é de há muito consensualmente reconhecida, nacional e internacionalmente. Por vontade expressa da Sé Apostólica, este é um Santuário Nacional. É também um dos mais importantes santuários marianos do mundo pertencentes à Igreja Católica e de maior destino internacional de turismo religioso, recebendo cerca de seis milhões de visitantes por ano. Foi distinguido com três rosas de ouro papais e visitado pelos Papas Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991 e 2000), Bento XVI (2010) e Francisco (2017).

Partilhar: